PT/BR
Milícia da Imaculada

Redes Sociais

São Maximiliano KolbeRetorno à Polônia
-A   +A

RETORNO À POLÔNIA

Frades trabalhando na produção da Revista o Cavaleiro da Imaculada Frades trabalhando na produção da Revista o Cavaleiro da Imaculada
O Cavaleiro da Imaculada O Cavaleiro da Imaculada

Em 22 de julho de 1919, Pe. Maximiliano consegue o doutorado em Teologia e parte para a Polônia no dia seguinte. Ele estava inscrito no Seminário Franciscano de Cracóvia, para ensinar história da Igreja a partir de outubro.

Ansioso em difundir a MI também na Polônia, como fez em Roma, Pe.Kolbe pede a aprovação de seus superiores. O Ministro Provincial concede rápido, bendizendo a iniciativa, e em 20 de dezembro, o bispo Stephen Sapieba, aprovou o programa da MI, recomendando a difusão e autorizando a impressão do Estatuto em língua polonesa.

 

De 11 de agosto de 1920 até 28 de abril de 1921, Pe.Maximiliano ficou internado no Hospital Climático de Zakopane, doente de tuberculose.

Em janeiro de 1922, a MI é aprovada como “Piedosa União da Milícia de Maria Imaculada” pelo Cardeal Basílio Pompilii, Vigário Geral da Diocese de Roma.

 

Depois Pe.Maximiliano publicou o 1º número da revista mensal “Rycerz Niepoklanej”, o Cavaleiro da Imaculada, com 5.000 cópias. Em 20 de outubro, Pe.Kolbe foi transferido ao Convento de Grodno, onde continuou a sua atividade de editor do “Cavaleiro” e começou a imprimir com a ajuda de dois confrades. O número dos assinantes cresceu, assim também como a qualidade da revista e a aparelhagem tipográfica, que necessitava de um número cada vez maior em outros locais.

 

Em 1926, os médicos prescreveram uma outra permanência em Zakopane a Pe.Kolbe, por ter agravado seu estado de saúde, sempre da tuberculose.

No dia 18 de setembro, ele parte para Zakopane e os superiores elegem como sucessor seu irmão Pe.Alfonso Kolbe, que o substitui dignamente durante sua doença.

Em 18 de abril de 1927, Pe.Maximiliano deixou o hospital de Zakopane e voltou para Grodno, onde os esforços de seu irmão deu muito sucesso: não tinha mais ângulos livres.

 

As máquinas ocuparam a cozinha e o refeitório, os corredores estavam repletos de cartas e revistas. Os membros poloneses eram 126.000 e o “Cavaleiro da Imaculada” tinha uma edição mensal de 60.000 cópias. Em junho, Pe.Maximiliano e Pe.Alfonso encontraram-se com o Sr.Srzednicki – administrador chefe do Príncipe John Drucki-Lubecki, proprietário do terreno que possuia uma grande área em Teresin, perto de Varsóvia, localizada no centro da Polônia, perto da principal linha ferroviária: lugar ideal para um novo convento e um complexo editoral.

Pe.Maximiliano não poderia aceitar uma doação de um lote de terra sem a permissão dos superiores. Entre os dias 19 e 21 de julho, aconteceu um Capítulo Provincial em Cracóvia e o caso foi discutido.

 

Em 6 de agosto, Pe.Maximiliano abençoou uma estátua da Imaculada no lugar onde haveria de construir o convento e no dia 1º de outubro o Príncipe Drucki-Lubecki firmou o gesto de doação do terreno.

No dia 21 de novembro de 1927, Pe.Maximiliano foi nomeado superior do futuro convento a ser fundado: Niepokalanów, a “Cidade da Imaculada”. Transfere Pe.Alfonso e outros irmãos para Teresin.

 

Quando foi pedido o seu parecer sobre a dimensão do cemitério ele responde: “não é necessário uma área muito vasta de terreno para o cemitério, porque a maior parte dos ossos de seus habitantes repousará nas mais variadas regiões da terra.”